Por que o “Matrimônio” tem este nome?

Devemos saber, antes de tudo, que o Matrimônio foi instituído por Deus. Está escrito no Gênesis: “Criou-os como homem e mulher; e Deus os abençoou, e disse: ‘Crescei, e multiplicai-vos’”.


Catecismo Romano | Por Pascom · 11 de abril de 2018


Por que “Matrimônio”?

CHAMA-SE “Matrimônio” porque o fim principal que a mulher deve propor-se, quando casa, é tornar-se mãe [no latim, as palavras ‘mãe’ e ‘maternidade’ escrevem-se, ambas, “mater, matris”, daí “matrimônio”]. Em outras palavras: porque a função própria de uma mãe é conceber, dar à luz, e criar seus filhos.

Chama-se também “conjúgio”, porque a legítima esposa e o marido ficam, por assim dizer, ligados um ao outro, por meio de um ‘jugo comum’.

Instituição divina

Os fiéis devem saber, antes de tudo, que o Matrimônio foi instituído por Deus. Está escrito no Gênesis: “Criou-os como homem e mulher; e Deus os abençoou, e disse: ‘Crescei, e multiplicai-vos’” (Gn 1, 27-28).

“Admiração maternal – o banho” (1869) por W. A. Bouguereau

Pouco adiante, lemos: “Não é bom que o homem esteja só. Façamos-lhe um auxiliar semelhante a ele mesmo” (Gn 2, 18).

Estas e outras palavras (Gn 2, 20ss; Ef 5, 31), como diz o próprio Nosso Senhor, no Evangelho de São Mateus, provam que o Matrimônio é uma instituição divina.

Razões para unir-se em Matrimônio

A primeira é a união dos sexos diferentes, desejada pelo próprio instinto da natureza, baseada na esperança de mútuo auxílio, para que uma parte, amparada pela outra, possa mais facilmente sofrer os incômodos da vida, e suportar a debilidade da velhice.

A segunda razão é o desejo de gerar filhos, não tanto para os deixar como herdeiros de seus bens e riquezas, quanto para os criar como seguidores da verdadeira fé e religião. Mostram-nos as Sagradas Escrituras, claramente, que era esta a principal aspiração dos Santos Patriarcas, quando tomavam esposas.

Este motivo — o de gerar filhos — é também o único fim primário pelo qual Deus havia instituído o Matrimônio. […]

Este slideshow necessita de JavaScript.


Em — ‘Do Sacramento do Matrimônio’, Catecismo romano (trad. do latim por Frei Leopoldo Pires Martins, O.F.M., nova edição, Anápolis, Serviço de Animação Eucarística Mariana, 2006), parte 2, capítulo 8, pp. 364, 367-368. [1ª ed. brasileira: 1951; 1ª ed. romana: 1566.] — Ligeiramente adaptado, sem distorções.


 

, , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *